ARTIGOS

 


Falando a voz dos nossos desejos: os sentidos da representatividade e do lugar de fala na ação política das mulheres negras (2019)

Artigo publicado na Revista Interações Sociais/FURG por Andrea Franco Lima e Silva (UFPB), Grécia Mara Borges da Silva (UFMG)

Resumo: O trabalho discute a participação das mulheres negras nas esferas representativas da política partidária institucional brasileira apresentando um debate entre os significados de representação e representatividade no contexto da política liberal democrática e a definição de lugar de fala como meio legítimo de emancipação, e exercício da representatividade e disputa de poder político. A publicação apresenta as experiências de atuação política e estratégias criativas de atuação das mulheres negras em cargos legislativos que se fundam nos sentidos de lugar de fala e representatividade, como são o movimento social “Muitas” e a experiência da “Gabinetona”.

Leia ou baixe aqui: https://periodicos.furg.br/reis/article/view/9156


“Marielle virou semente”: representatividade e os novos modos de interação política da mulher negra nos espaços institucionais de poder (2018)

Artigo publicado na Revista Sociologias Plurais/UFPR por Andrea Franco Lima e Silva (UFPB)

Resumo: O presente artigo busca identificar as candidaturas de mulheres negras nas eleições proporcionais de 2018 como parte de um projeto coletivo, amplo e contínuo de emancipação e transformação social que tem orientado as experiências de organização e de resistência das mulheres negras desde o período da escravidão, até os atuais movimentos feministas negros. Realiza breve revisão bibliográfica da literatura sobre o feminismo negro para então conhecer, elencar e interpretar, a partir dessa revisão, as ações de campanha de candidatas negras aos pleitos proporcionais em 2018 que aderiram a uma proposta de coletivização dos mandatos. 

Leia ou baixe aqui: https://revistas.ufpr.br/sclplr/article/view/68214 


“Marielle Virou Semente”: A eleição de Áurea Carolina e Talíria Petrone como resistência às violências sofridas por corpos de mulheres negras (2018)

Artigo publicado nos anais do Compolítica 8 (Congresso da Associação Brasileira de Pesquisadores em Comunicação e Política) por Cristiano Rodrigues (UFMG); Mariana Sales de Abreu (UFMG)

Resumo: As eleições de 2018 resultaram em mudanças na composição da Câmara Federal: houve um aumento expressivo de conservadores, ao mesmo tempo em que cresceu o número de mulheres, o que inclui as mulheres negras. Um dos motes de alguns movimentos no período pós-eleitoral foi “Marielle virou semente”, referindo-se ao fato de figuras associadas a Marielle Franco, vereadora do Rio de Janeiro assassinada em 2018, terem sido eleitas para diversas esferas. Esse evento levantou debates em torno das implicações de ser um corpo negro, mulher e LGBT na política. Assim colocou-se em pauta a necessidade de fortalecer presenças como a dela para afirmar o direito a uma vida vivível e representável. Nesse sentido, buscamos compreender a eleição de duas deputadas federais negras – Áurea Carolina, e Talíria Petrone – a partir da ótica da ocupação das esferas de poder por corporalidades que as questionem. Dessa maneira, busca-se trazer à luz a interlocução entre os movimentos feministas negros, o partido e as próprias ex-vereadoras.

Leia ou baixe aqui: http://ctpol.unb.br/compolitica2019/GT5/gt5_Rodrigues_Abreu.pdf


Mandatos coletivos e compartilhados: experimentações de inovações democráticas no Poder Legislativo do Brasil (2019)

Dissertação apresentada ao curso de Pós-graduação em Administração do Centro de Ciências da Administração e Socioeconômicas, da Universidade do Estado de Santa Catarina

Resumo: O objetivo desta pesquisa é analisar as motivações, os fatores críticos de implementação, os riscos, as características de gestão e os ganhos da adoção de mandatos compartilhados e coletivos. Para alcançar este objetivo, a pesquisa adotou um desenho de estudo de casos múltiplos em dois mandatos compartilhados, dois mandatos coletivos e dois mandatos coletivos de partido. O estudo empírico utilizou dez dimensões de análises: (1) iniciativa, (2) tamanho, (3) elegibilidade, (4) acesso, (5) permanência, (6) distribuição de poder, (7) extensão de poder, (8) custos e benefícios, (9) processo de tomada de decisão e (10) mecanismo de interação.  Como resultado o estudo traz ainda um guia prático de formatação de mandatos compartilhados e coletivos com todas as características presentes nos mandatos em atividade no Brasil a fim de apoiar a implementação de novas candidaturas e mandatos compartilhados e coletivos. 

Leia ou baixe aqui: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2236-99962019000300831&script=sci_arttext


Possibilidades contra-hegemônicas de reinventar a política 

Artigo publicado na Revista Vírus 17/USP por Helena d’ Agosto Miguel Fonseca (UFMG); Raquel Garcia Gonçalves (UFMG)

Resumo: O presente trabalho está inserido nos debates a respeito das experiências de novas formas de organização, mobilização, reivindicação e reinvenção da política, que surgem em um momento em que o jogo democrático formal vem perdendo sua legitimidade, ficando desacreditado e esvaziado, sobretudo nos espaços de participação popular. O objetivo central da pesquisa, que se encontra em andamento, é investigar as possibilidades de ampliação da participação popular e os ganhos trazidos por uma construção coletiva de políticas, relacionadas, sobretudo, ao direito à cidade e aos seus desdobramentos no uso, planejamento e gestão do espaço urbano em Belo Horizonte, e também, a possibilidade da ocupação coletiva dos espaços institucionais.

Leia ou baixe aqui: http://www.nomads.usp.br/virus/virus17/?sec=4&item=8&lang=pt


Megafonizar as Lutas:  a experiência das Muitas e da Gabinetona em Belo Horizonte (2019)

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Minas Gerais por Gustavo Pessali Marques 

Resumo: A presente dissertação se propõe a sistematizar a experiência em torno da conformação das “Muitas pela Cidade que Queremos”, movimentação originária da cidade de Belo Horizonte/MG – Brasil, e da Gabinetona – mandato aberto, coletivo e popular das vereadoras Áurea Carolina e Cida Falabella em covereança com Bella Gonçalves – desde o início da movimentação até os primeiros dois anos da legislatura que vai de 2017-2020. Ademais, busca analisar o conceito de radicalidade democrática contrapondo a teoria elaborada por Chantal Mouffe e Ernesto Laclau em seu livro Hegemonia e Estratégia Socialista com a experiência de radicalidade democrática elaborada e vivenciada pela movimentação, promovendo críticas e abordando elementos de complementaridade entre ambas experiências e estruturas de pensamento. 

Leia ou baixe aqui: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/31969


O reflexo das eleições municipais de 2016 – 1º turno (2019)

Artigo publicado na revista Revista Multiface/UFMG por Arthur Ribeiro Queiroz (UFMG)

Leia ou baixe aqui: https://revistas.face.ufmg.br/index.php/multiface/article/view/3801/1826


A performatização da política institucional (2019)

Artigo publicado na Revista Sala Preta/USP por Gabriela Serpa Chiari (UFMG) e Bya Braga (UFMG)

Resumo: O artigo toma como ponto de partida os estudos em processo de desenvolvimento em investigações acadêmicas do Programa de Pós-Graduação em Artes/Artes da Cena da Universidade Federal de Minas Gerais sobre a corporeidade no Teatro do Oprimido. Apresenta também, por meio da metodologia de relato de experiência, uma prática de resistência estética de realização do Teatro do Oprimido, mais especificamente a técnica do Teatro Legislativo, no âmbito da Gabinetona, por meio do grupo AzDiferentonas!, na cidade de Belo Horizonte, Minas Gerais.

Leia ou baixe aqui: https://www.revistas.usp.br/salapreta/article/view/156211


Teatro Legislativo e Racismo: arte, política e militância (2017)

Artigo publicado na revista Revista Repert/UFBA por Noeli Turle da Silva (UFBA)

Resumo: A partir da comparação de similaridades entre as propostas de ação política dos mandatos das vereadoras Áurea Carolina e Cida Falabella, em Belo Horizonte-MG, e o de Augusto Boal, no Rio de Janeiro-RJ, separados temporalmente em 20 anos, o artigo traz uma primeira observação de como, neste novo momento da vida política e social brasileira, o Teatro Legislativo é retomado como tática estética, com o propósito de dar visibilidade e protagonismo à população negra, excluída, marginalizada e historicamente colocada na periferia do poder decisório.

Leia ou baixe aqui: https://portalseer.ufba.br/index.php/revteatro/article/viewFile/25464/15582


Mandato Coletivo: a candidatura da Bancada Ativista nas Eleições de São Paulo 2018

Capítulo do livro Livro Comunicação e Política: Interfaces em esferas regionais por Rosemary Segurado; Vera Chaia e Tathiana Chicarino

Leia ou baixe aqui: http://www.cpop.ufpr.br/portal/wp-content/uploads/2019_Ebook_ComunicaçãoPol%C3%ADtica.pdf


Raça e Gênero nas Eleições: os Discursos dos Mandatos Coletivos Durante 2018 (2019)

Artigo publicado nos Anais do Intercom 42º por Carlos Humberto Ferreira Silva Júnior (UNESP) e Valmir Teixeira (Universidade Metodista)

Resumo: Este trabalho tem como objetivo analisar os discursos relacionados as questões de raça e gênero realizados durante as eleições de 2018 pelos mandados coletivos eleitos no Brasil. Como corpus teremos os vídeos das campanhas eleitorais divulgados nas plataformas digitais da Bancada Ativista (São Paulo); Juntas (Pernambuco); e Áurea Carolina e Andréia de Jesus (Minas Gerais), representando o Muitas e a Gabinetona. Para análise discursiva trabalhamos com o conceito de estereótipo de Ruth Amossy, cujo objetivo foi identificar as institucionalidades das falas e suas respectivas relações com as identidades raciais e de gênero. Identificamos uma forte alusão à luta por sobrevivência na vida cotidiana, com apresentação de corpos e discursos baseados na ideia da diversidade, tendo destaque o corpo negro e a figura feminina.

Leia ou baixe aqui: http://portalintercom.org.br/anais/nacional2019/resumos/R14-1184-1.pdf


Teatro legislativo e representação democrática: a Câmara na Praça como aliança entre democracia e representação (2019)

Artigo publicado na Revista Brasileira de Ciência Política/UNB por Gustavo Hessmann Dalaqua (USP)

Leia ou baixe aqui: http://periodicos.unb.br/index.php/rbcp/article/download/24994/22067


Lo nuevo siempre viene (2018)

Capítulo do livro Afrodescendencias: voces en resistencia por Marielle Franco 

Leia ou baixe aqui: https://www.jstor.org/stable/pdf/j.ctvn96gn4.12.pdf


Os movimentos de renovação política e a promoção da participação da mulher nas Eleições de 2018 (2019)

Artigo publicado Revista Resenha Eleitoral/EJESC por Níkolas Reis Moraes dos Santo e Vanessa de Ramos Keller

Resumo: Este artigo é resultado de pesquisa bibliográfica, de colheita e tratamento de da- dos, e de estudo de casos em que se buscou tratar os dados e as informações identificados nas literaturas histórica, sociológica, política e jurídica local, nacional e internacional, bem como em indicadores e informações oficiais, tendo como Norte a participação da mulher no processo eleitoral, e a dimensão da impor- tância das instituições, enquanto movimentos de renovação política, especialmente a RAPS, a Fundação Lemann e o RenovaBR, na pro- moção de tal participação, do que se concluiu que é preciso estimular tais movimentos su- prapartidários que já alcançam resultados re- levantes. Utilizou-se, para tanto, da técnica do referente e aplicou-se o método indutivo.

Leia ou baixe aqui: http://www.tce.sc.gov.br/sites/default/files/Livro%20Resenha%2023%20n%201_24092019_final_site.pdf#page=90 


Gênero, feminismo e cidades (2019)

Artigo publicado na Revista de Estudios Urbanos y Ciencias Sociales por Claudia Mayorga (UFMG) e Lupicinio Íñiguez-Rueda (Universidad Autónoma de Barcelona)

Resumo: En este texto, la autora y el autor presentan el tema del monográfico Género, Feminismo y Ciudades. Sobre la base de la observación de que, históricamente, el urbanismo y la planificación urbana operaron desde la idea de un ciudadano neutral, y en base a la crítica feminista de la dicotomía público/privado, la autora y el autor señalan contribuciones que las perspectivas de género y el feminismo pueden ofrecer al urbanismo. Las contribuciones destacadas incluyen las dimensiones de la participación, la perspectiva de la equidad y la construcción de espacios públicos que generen vínculos y relaciones. La reflexión propuesta introduce el conjunto de textos publicados en el monográfico en cuestión.

Leia ou baixe aqui: http://www2.ual.es/urbs/index.php/urbs/article/view/mayorga_iniguez_rueda/489


Dez anos de ocupações organizadas em Belo Horizonte: radicalizando a luta pela moradia e articulando ativismos contra o urbanismo neoliberal (2019)

Artigo publicado no Cadernos Metrópole/PUC-SP por Marina Sanders Paolinelli (UFMG) e Thiago Canettier (UFMG)

Resumo: Este artigo é uma tentativa de balanço dos dez anos de um ciclo importante de lutas organizadas por movimentos sociais em Belo Horizonte. Ao longo desse tempo, os movimentos transformaram-se, ampliaram suas pautas para além do direito à moradia e assumiram estratégias de luta ampliada pelo direito à cidade – e contra o processo recente de neoliberalização da gestão municipal – que tomaram principalmente a forma de ocupações organizadas. Durante o período, caracterizado por uma hibridização das lutas urbanas, foi alterado significativamente o padrão de relacionamento dos movimentos com as instituições, que passou a se basear na ação direta, na ação institucional e na ação cotidiana

Leia ou baixe aqui: http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S2236-99962019000300831&script=sci_arttext 


Insurgências urbanas e direito à cidade na perspectiva de ativistas em Belo Horizonte (2017)

Tese apresentada como requisito parcial à obtenção do título de Doutora em Educação e Inclusão social pela Faculdade da Universidade Federal de Minas Gerais por Vitória Régia Izaú (UFMG)

 Leia ou baixe aqui: https://repositorio.ufmg.br/handle/1843/BUOS-B4RL3W


Luízes, um quilombo em contexto urbano : história, memória, travessia e re-existência dos pretos das piteiras (2019)

Dissertação submetida como requisito parcial para obtenção do grau de Mestre no Programa de Pós-Graduação Profissional em Desenvolvimento Sustentável da Universidade de Brasília por Miriam Aprigio Pereira (UNB) Leia ou baixe aqui:  

https://repositorio.unb.br/bitstream/10482/35825/1/2019_MiriamApr%C3%ADgioPereira.pdf


A política na religião ou a religião na política?: considerações sobre representação religiosa na Legislatura 2.017-2.020 da Câmara Municipal de Belo Horizonte (2018)

Dissertação apresentada ao Programa de Pós-Graduação em Direito da Universidade Federal de Minas Gerais por Daniel Antônio da Cunha

Leia ou baixe aqui: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/BUOS-B5WHNQ/1/disserta__o_daniel_ant_nio_da_cunha.pdf

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *